Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Notícias OESC

Reunião de trabalho no dia 23/04/13

Está confirmada a efetivação da reunião de trabalho no dia 23/04/13, às 18 horas, na cidade de Criciúma, sede da UNESC, Bloco I, sala 02, à instalação da Seccional Sul da Ordem dos Economistas de Santa Catarina. Dirigentes estaduais da entidade se farão presentes.

Visita a APEC

O professor Silvio Antônio Ferraz Cario, presidente da Associação dos Pesquisadores em Economia Catarinense – APEC -, será recepcionado pelo presidente e vice da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, economistas Luiz Henrique Belloni Faria e Silvio José Martins Filho, respectivamente, na sede entidade, dentre outros dirigentes. Na pauta está a realização do VII Encontro de Economia Catarinense, que ocorrerá nos dias 09 e 10 de maio e terá como tema: Crescimento e desindustrialização.

DIRIGENTES DA SECCIONAL NORTE DA OESC AGENDAM VISITAS

Economistas que dirigem a Seccional Norte da OESC confirmam visitas a lideranças políticas e sindical de Joinville. No dia 18/04, o encontro será com o Secretário Municipal de Integração e Desenvolvimento Econômico Sr. Jalmei José Duarte e com o Diretor Executivo da respectiva pasta, Sr. Marcos Vieira. No dia 22/04, o encontro será com o Sr. Mário Brehm, Secretário Executivo do Sindicato dos Metalúrgicos.

ORDEM DOS ECONOMISTAS DE SANTA CATARINA/BADESC

O presidente da OESC recebeu correspondência oficial do BADESC, comunicando a inclusão dos economistas na condição de correspondentes na linha de crédito BADESC/FACIL. Sem dúvida uma significativa VITÓRIA DOS ECONOMISTAS CATARINENSES.

Veja o Ofício

Áreas de atuação do ECONOMISTA

A formação do economista o possibilita analisar uma grande variedade de problemas do mundo real. Como a forma de pensar do economista é rigorosa e lógica - obtida a partir do treino analítico possibilitado pelas matérias de Teoria Econômica - os problemas do mundo real passam a ser mais facilmente tratáveis pelo economista. Além disso, a formação do economista envolve o estudo da História e da Estatística, o que lhe fornece um arcabouço de conhecimentos adequado aos problemas que enfrentará no mundo profissional. Tais características tornam atrativo aos empregadores, a contratação de economistas. A Economia é um estudo atraente, complexo e que exige grande dedicação. Mas no mercado de trabalho, onde aplicar os conhecimentos da universidade?

Abaixo, 22 áreas de atuação do Economista: Elaboração da Viabilidade Econômica de Projetos; Economia de Empresas; Orientação Financeira; Mercado Financeiro; Consultoria e Assessoria; Assessoria de Projetos Agroindustriais/Agro business; Desenvolvimento de Projetos de Infra-estrutura; Orientação em Comércio Exterior; Elaboração de Estudos Mercadológicos; Orçamentos; Professor; Perícia; Arbitragem e Mediação; Setor Público; Análise de Conjuntura Econômica e Pesquisas; Entidades; Consultoria em fusão, aquisição e incorporação de empresas; Recálculo de Contratos; Diversas Assessorias Econômicas; Estudo e Orientação de Viabilidade Econômica de Novas Empresas; Desenvolvimento e Planejamento Econômico; Criação de Projetos para obtenção de Financiamento.


Economista Luiz Antônio da Silva
Dirigente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina

Novos dirigentes da Regional Norte da OESC realizam reunião

Assuntos tratados:

 Câmara de Mediação e Arbitragem - CMA

• Após análise do economista dirigente Nerian José Cardoso, ficou entendido que existe a possibilidade da constituição da CMA, porém alguns pontos precisam ser definidos:

a)    Como será a relação entre OESC x CMA x Seccionais ?
b)    Quem irá compor a CMA ?
c)    Quais os objetivos da OESC com a criação da CMA ?
d)    Visita a entidades que também possuem Câmara (Sindicato e FIESC);
e)    Definição de questões financeiras: i) investimentos necessários; ii) despesas operacionais; iii) receitas geradas.
 

 Ficou definido que cada membro da Seccional responderá por tarefas:

a)    Organograma, definição de cargos e minuta do estatuto (economista Nerian Cardoso);
b)    Visita a entidades (economista Horst Schroeder);
c)    Relação OESC x CMA x Seccionais, análise jurídica do Estatuto (economistas Marcos Filipus e Luiz Carlos Scharf);
d)    Análise do Estatuto (modelo) da CMA da Federação da Indústria e Comércio da Bahia (economista Adilson Roeber).
 

• Assuntos a serem pautados às próximas reuniões:

- Necessidade de novas filiações na Seccional, para definição de suplentes, preferencialmente contatar economistas de São Francisco do Sul, Jaraguá do Sul, etc;
- Busca de novos convênios; Ø  Contato com a UNIVILLE, propondo aula inaugural no curso de economia (a cada semestre), para tratar de temas como a profissão do economista e aproveitar o espaço para divulgar a OESC.
- Elaboração de um plano de ação para o ano:
- Disponibilização de janela no site da OESC, para publicarmos os assuntos relacionados à seccional, como, por exemplo, o cronograma de trabalho, o plano de ação, publicações e estudos, imagens e fotos relacionadas à seccional, etc

Dirigentes da OESC se reúnem com Adido Comercial da Holanda

Os economistas Luiz Henrique Belloni Faria e Silvio José Martins Filho, presidente e vice da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, respectivamente, se reuniram com o Dr. Erik Baudoiun, Adido Comercial, Chief Representative, da Holanda, com o intuito de discutirem alguns assuntos relativos à economia internacional e formalizar convite para a realização e organização de um painel, por parte da OESC, a respeito da visão econômica da Europa em relação ao Brasil e, mais especificamente, a região sul.

20130326 114020

VITÓRIA DOS ECONOMISTAS

O presidente da OESC, economista Luiz Henrique Belloni Faria, recebeu comunicação oficial do presidente do BADESC, João Paulo Kleinubing, confirmando a inclusão dos economistas na condição de  “correspondentes” na linha de crédito denominada BADESC/FACIL. O novo edital contemplando essa situação será assinado, no máximo até o dia 15 de abril. A discussão sobre essa possibilidade teve início após expediente da entidade àquela agência de fomento e, a partir de então, reuniões com dirigentes e o presidente do BADESC se efetivaram. O economista Waldemar Bornhausen Neto, presidente do CORECON/SC, foi, juntamente com dirigentes da OESC, um incansável lutador à conquista desse novo espaço aos economistas.

Conselheiro da OESC é indicado para ANBIMA

Durante reunião ordinária do Conselho Nacional de Dirigentes dos Regimes Próprios de Previdência, o Conselheiro da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, economista Marcelo Panosso Mendonça, foi escolhido como membro do Conselho da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais, com sede em São Paulo. A ANBIMA representa as instituições do mercado de capitais brasileiro, com mais de 340 associados, figurando entre eles bancos comerciais e múltiplos, bancos de investimento, gestores e administradores de fundos, corretoras e distribuidoras de valores mobiliários e gestores de patrimônio.

A associação tem como objetivo fortalecer as instituições e o mercado e ainda articular demandas que estejam de acordo com as necessidades dos segmentos em que eles atuam. Com essa indicação, os economistas, a OESC e o estado de Santa Catarina ocuparão importante cadeira junto ao mercado nacional financeiro e de capitais.

Dirigentes da OESC se reúnem com presidente do BADESC

No dia 14/03/2013, o presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, economista Luiz Henrique Belloni Faria, acompanhado dos economistas Silvio José Martins Filho, Marcelo Panosso Mendonça e André Schweitzer, foi recepcionado pelo recém-empossado presidente do BADESC, João Paulo Kleinübing, na sede da agência de fomento. Além da manifestação de êxito à frente da agência, o presidente atenciosamente ouviu a situação de desconforto e desagrado dos economistas em relação ao edital 044/12, do BADESC, que priorizou exclusivamente outra categoria de graduados à condição de “correspondentes” da linha de crédito BADESC/FÁCIL. Ao final do encontro os presidentes se cumprimentaram e acordaram da não necessidade de medida judicial por parte da OESC pedindo a anulação do edital, pois a situação deverá ser revista e que nos próximos dias novo contato se dará.

Cabe enfatizar que a boa vontade demonstrada pelo presidente João Paulo Kleinübing à busca de solução foi significativa e merecedora de crédito por parte dos dirigentes da OESC.

badesc1

Novos dirigentes da Seccional Norte da OESC

Em reunião realisada no dia 13 de março, na cidade de Joinville, foi definida a nominata dos economistas dirigentes que integrarão a Seccional Norte da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, biênio 2013/2014.  São eles: Adilson Roeber, Alexandre Poffo, Horst Schroeder, Luiz Carlos Scharf, Marcus Felipus e Nerian José Cardoso. A responsabilidade de presidir a Seccional ficou ao encargo do economista Marcus Felipus.

reuniao escolha membros seccional norte1

Dirigentes da AURESC fazem visita à OESC

Membros da diretoria da Associação dos Usuários das Rodovias do Estado de Santa Catarina foram recepcionados pelo presidente e vice da Ordem dos Economistas do Estado de Santa Catarina, economistas Luiz Henrique Belloni Faria e Sílvio José Martins Filho, respectivamente, na sede da entidade. A visita teve caráter institucional e culminou com a formulação de convite para que a OESC junte-se a AURESC à organização de simpósio estadual, cuja pauta será as cobranças dos pedágios nas rodovias catarinenses, bem como o dimensionamento e a análise dos valores pagos pelas concessionárias a título de ISS, nos locais onde se encontram instalados os postos. Nova reunião se efetivará a respeito.

auresc

O presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, Luiz Henrique Faria, juntamente com economistas Eduardo Volante, Marcelo Panosso Mendonça e Silvio José Martins Filho, dirigentes da entidade, reuniram-se com o presidente da Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas de Santa Catarina, Sr. Sérgio Medeiros, para tratar da subscrição de Termo de Cooperação Técnica entre OESC/FCDL. Dentre as situações colocadas à possível subscrição foi condicionante por parte dos dirigentes da Ordem dos Economistas o desenvolvimento de um trabalho que efetivamente venha demonstrar aos 35 mil associados da FCDL, a importância dos respectivos terem próximos de si profissionais da área econômica. Em contrapartida, a OESC disponibilizará economistas para palestras sobre o mercado financeiro, perspectivas futuras da economia e levantamento de dados de interesse dos lojistas.

fcdl

Presidente da OAB/SC recebe presidente da OESC

O presidente da OAB/SC, Dr. Tullo Cavallazzi Filho e o presidente da OESC, economista Luiz Henrique Belloni Faria, reuniram-se para uma conversa a respeito da possibilidade da subscrição de Termo de Cooperação entre as instituições. A iniciativa partiu da diretoria da OESC e foi bem recebida pelo dirigente da OAB/SC, que ficou de pautar o assunto à próxima reunião da instituição. O Termo tem, dentre outras situações, como objetivo o desenvolvimento de ações conjuntas que venham beneficiar a sociedade catarinense sob a ótica jurídica e econômica.

Acompanhou o presidente da OESC os economistas Silvio Martins Filho e Marcelo Panosso Mendonça, respectivamente, vice-presidente e conselheiro da entidade.

visitaoab4
Da Esquerda para Direita: Economista Luiz Bratti - tesoureiro da OAB,
economista Luiz Henrique Faria - presidente da OESC, Dr. Tullo Cavallazzi Filho - presidente da OAB,
economista Silvio Martins Filho - vice-presidente da OESC e economista Marcelo Panosso - conselheiro da OESC

Economistas se reúnem em Joinville

Os dirigente da OESC, residentes na cidade de Joinville, reuniram-se no dia 27/02/2013, para tratarem da composição da nominata dos conselheiros da Seccional Norte da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, biênio 2013/2014. O presidente da entidade, economista Luiz Henrique Belloni Faria, se fez presente e teceu alguns comentários a respeito de ações presentes e futuras da entidade.

dsc05100

ORDEM DOS ECONOMISTAS FAZ DENÚNCIA JUNTO AO MPF

O presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, economista Luiz Henrique Belloni Faria, anunciou que a entidade na data de hoje (22/02) apresentou denúncia ao Ministério Público Federal, Procuradoria da República em Santa Catarina, contra a medida tomada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que autorizou a Autopista Litoral Sul, responsável pelos 382,3 quilômetros do trecho conhecido como Corredor do MERCOSUL, reajustar os valores dos pedágios em 13,34%. O diferencial da denúncia em relação às ações judiciais anteriormente propostas pelo MPF, infringência de cláusulas contratuais, é a exorbitância na variação dos reajustes desde a implantação dos primeiros postos instalados no estado catarinense, no ano de 2009. Sob a alegação de que o aumento autorizado está “literalmente fora da realidade econômica do país”, representa “afronta generalizada à economia popular” e deixa caracterizada a “cobrança abusiva na prestação de serviços”, em considerando os números da economia brasileira, foi subscrita a denúncia. Para demonstrar sua sustentação a entidade detalhou minuciosamente três situações: a) a variação do INPCA (índice oficial da inflação); b) a variação do Salário Mínimo e c) a variação do custo do pedágio, todas no mesmo período temporal (a partir de 2009). Dados conclusivos: O PREÇO DO PEDÁGIO CRESCEU 54,62%, SENDO 8,82% A MAIS QUE O SALÁRIO MÍNIMO E 30,1% A MAIS QUE A INFLAÇÃO. Também, a Ordem dos Economistas de Santa Catarina, demonstrou que o feito da ANTT atingiu diretamente os consumidores finais de forma direta (elevação dos custos de comercialização) e em duplicidade àqueles que compulsoriamente utilizam a malha rodoviária, por falta de opções de trafegabilidade. Para esse fim apresentou dados considerados abusivos, como por exemplo: um veículo de carga de quatro eixos, que é a grande maioria dos que transitam no maior meio de escoamento produtivo de Santa Catarina, pagam a exorbitância de “doze centavos” de custo de pedágio por cada quilômetro percorrido entre o trecho Palhoça/Garuva. Se colocar o respectivo montante no preço do óleo diesel representaria um reajuste de 5,59%, em cada litro.


INICIATIVA DA OESC É DESTAQUE NA IMPRENSA CATARINENSE
JORNAL A NOTÍCIA

22 de fevereiro de 2013. | N° 1769Alerta
CANAL ABERTO | Cláudio Prisco

Após elaborar minucioso estudo, detalhando a variação do INPCA (índice oficial da
inflação), a variação do salário mínimo e do custo do pedágio cobrado na BR-101, a
partir de 2009, a Ordem dos Economistas de Santa Catarina(OESC), presidida por
Luiz Henrique Belloni Faria, decidiu apresentar denúncia ao Ministério Público Federal
contra a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O órgão autorizou
sucessivos e abusivos reajustes no valor do pedágio desde sua implantação. O preço
cobrado pela Autopista subiu 54,62% no período, 8,82% a mais do que o salário
mínimo e 30,1% a mais do que a inflação. Medida mais do que acertada..

PLANO ESTRATÉGICO DA OESC

Clique Aqui e conheça o Plano Estratégico da OESC.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DA OESC NO ANO 2012

Clique Aqui e acesse o Relatório de Atividades da OESC no ano de 2012.

Comissão de Defesa das Prerrogativas dos Economistas

O presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina –OESC – economista Luiz Henrique Belloni Faria, anunciou a criação da Comissão de Defesa das Prerrogativas dos Economistas, vinculada a diretoria executiva da entidade. “A Comissão fortalecerá a garantia das prerrogativas dos economistas e focará seus trabalhos na prevenção às violações das prerrogativas e ao desrespeito ao exercício do profissional", destacou o presidente da OESC.

A Comissão, em um primeiro momento, funcionará regida por ato resolutório da administração da Ordem dos Economistas, mas deverá sair dessa situação quando for votado o novo estatuto da OESC, pois é intenção dos dirigentes que a comissão faça parte estatutariamente da estrutura organizacional da entidade. A Comissão será composta por cinco economistas e ficará sob responsabilidade do conselheiro Marcelo Panosso Mendonça e terá prerrogativa de subscrever pedidos de informações e de ofertar manifestações oficiais em nome da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, em relação as suas atribuições previstas em ato resolutivo. Terá em seu corpo economistas/bacharéis em direito e, ainda, disporá de mobilidade para identificar, tomar medidas e receber denúncias de violação às prerrogativas, tais como ofensas e/ou cerceamento de atividade econômica, aos profissionais da área.

O presidente da OESC formulou convite ao presidente do CORECON-SC, economista Waldemar Bornhausen Neto, para que a autarquia indique dois economistas para integrarem a respectiva.

A diretoria da Ordem dos Economistas de Santa Catarina oficialmente reivindicou junto ao presidente da Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. - BADESC, a inclusão dos economistas na condição de correspondentes daquela instituição à linha de crédito denominada BADESC/FACIL. A referida linha de crédito entrou em vigor a partir de janeiro do corrente e ofertou exclusivamente aos contadores a condição de correspondentes. Para um melhor entendimento esclarecemos que a linha de crédito varia de R$ 15.000,00 a R$ 100.000,00 e os correspondentes terão direito a percepção de 0,75% por cada um dos projetos apresentados, aprovados e liberados.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 logo rumadesign