Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Na Mídia - Impressa

OESC PUBLICA MENSAGEM AOS ECONOMISTAS NO JORNAL DIÁRIO CATARINENSE

DIA DO ECONOMISTA DC

Revista 21 da ACIJ publica matéria com participação do presidente da OESC

Revista ACIJ Economia OESC

Diário Catarinense de 18/07/2013

AÇÕES AFIRMATIVAS NAS UNIVERSIDADES

A educação é um dos problemas mais cruciais do Brasil. Infelizmente os dirigentes ainda não se conscientizaram que medidas não estruturais no sistema educacional, como, por exemplo, no econômico, jamais representarão melhorias e sim meros paliativos causadores de polêmicas. A instituição de cotas às universidades nada mais é do que um desses paliativos, de soberba ineficácia social, apesar de em um primeiro momento ter passado a impressão de simpatia.

O ensino público vigente no país é literalmente precário e falido. Um significativo número de alunos anualmente encerram seus estudos nas escolas públicas e se habilitam ao processo seletivo às universidades públicas, pois elas além de serem gratuitas ofertam graduações reconhecidamente renomadas. Ali estacionam, pois os índices de aprovação de estudantes oriundos das escolas públicas são baixíssimos pelo fato de não lhes terem sido ofertados uma qualificação eficaz. A abertura das cotas nada mais é do que uma medida imposta pelo poder público para diminuir o “quantum” dos estacionados. É evidente que a culpa não é dos alunos, mas sim do próprio governo que não dedica à educação pública as condições necessárias para que ela efetivamente qualifique seus alunos nas mesmas condições daqueles oriundos do ensino privado.

A ideia do governo federal em criar cotas nas universidades públicas foi uma iniciativa de opção, ou seja, uma benesse política/social. As cotas atendem potencialmente a protelação de investimentos na educação pública. É evidente que uma medida nesse nível representa um custo muito menor para os cofres públicos do que melhorar o ensino médio no país.

Quanto às cotas raciais elas possuem cunho literalmente ideológico e a discussão no campo merece debates profundos, sobretudo, por ser uma continuidade à exclusão social histórica da raça por tratá-los de forma diferenciada, uma espécie de preconceito às avessas.


 

Economista Luiz Henrique Belloni Faria

Presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina

Programa Motivação e Inovação - 16/06/2013

Economista Marcelo Panosso Mendonça, Conselheiro da OESC, Dá Entrevista sobre controle de gastos pessoais.

"ISTO É DINHEIRO" FAZ MENÇÃO À ORDEM DOS ECONOMISTAS DE SANTA CATARINA

revista istoé dinheiro

RBS FAZ REPORTAGEM E CITA NÚMEROS DA ORDEM DOS ECONOMISTAS DE SANTA CATARIA

Na edição do dia 06/06/2013, em reportagem apresentada no Jornal do Almoço sobre a concessionária da BR 101, trecho Palhoça/São José dos Pinhais (PR), os números levantados pela OESC a respeito da variação dos reajustes do pedágio foi parte integrante da matéria.

REUNIÃO DA OESC É DESTACADA NA IMPRENSA

A Notícia

29 de maio de 2013. | N° 1851

CANAL ABERTO | Cláudio Prisco

INTEGRAÇÃO O adido comercial da Holanda no Brasil, Erik Baudoin, é o convidado da Ordem dos Economistas de SC para palestrar no dia 6 de junho, na Câmara de Vereadores de Florianópolis. O holandês falará sobre a visão europeia do Estado, sobretudo no contexto econômico.

Programa RBS TV - 01/04/2013

Luiz Belloni Faria, presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, foi entrevistado no Jornal do Almoço, programa da RBS, para a reportagem onde é abordado que Ministério Público e Tribunal de Contas da União colocam o pedágio da Concessionária Autopista Litoralsul sob suspeita. Programa veiculado no dia 1º de abril de 2013.

 

Participação do presidente da OESC no programa Conversas Cruzadas

A elevação dos preços dos pedágios no estado e a denúncia da Ordem dos Economistas de Santa Catarina junto ao Ministério Público Federal foram divulgados por diversos meios de comunicação de Santa Catarina. Veja abaixo no youtube o primeiro bloco do programa Conversas Cruzadas, que tratou do assunto.

Jornal Notícias do Dia – 26/04/2013

Roberto Azevedo

OESC apoia a CPI de Telefonia na Assembleia

Presidente e vice da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, Luiz Henrique Belloni Faria e Silvio Martins Filho, viraram aliados da Assembleia Legislativa na CPI aberta para apurar os problemas dos serviços de telefonia móvel no Estado, e disponibilizaram a entidade para realização de trabalhos conjuntos.

Diário Catarinense - 9 de Abril 2013 | Nº 9867

dc artigo autopista

Ordem dos Economistas de SC afirma que reajustes no preço do pedágio são abusivos

Diário Catarinense - 01/04/2013

Entidade calculou a soma dos aumentos, desde o início da cobrança, e com o resultado de 54% protocolou denúncia no Ministério Público Federal com o último reajuste da tarifa, que fez o preço do pedágio subir 13,34% nas cinco praças do trecho Florianópolis-Curitiba, a Ordem dos Economistas de Santa Catarina resolveu olhar pelo retrovisor. Calculou o aumento desde o início da cobrança, em 2009, e chegou a um índice acumulado de 54% - que considera como abusivo.

A entidade também comparou o resultado com a variação do índice da inflação e com o reajuste do salário mínimo. Nos dois detalhamentos, o aumento do preço do pedágio foi o maior. Em relação ao salário, 8,82% superior, e à inflação foram 31,1% a mais.

Para o presidente da OESC, Luiz Henrique Faria, a variação de ganho da concessionária não condiz com a realidade da economia brasileira. Ele argumenta que atualmente, no país, somente investidores que trabalham com altíssimo risco conseguem chegar a um aumento superior a 50%. Com os cálculos feitos, a entidade apresentou denúncia ao Ministério Público Federal (MPF).

— Estamos falando de abuso, de uma ofensa à economia popular. Ainda mais quando não existem alternativas para escapar desse aumento — observa Luiz Henrique Faria.
 

view1
view2

OESC ESTUDA INSTALAÇÃO NA REGIÃO SUL

JORNAL A TRIBUNA - CRICIÚMA

quarta | 20/03/2013

OESC ESTUDA INSTALAÇÃO NA REGIÃO SUL

Textos: Deize Felisberto - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

A Ordem dos Economistas de Santa Catarina (Oesc) estuda a instalação em Criciúma de uma seccional Sul da entidade. De acordo com o economista e Conselheiro da Oesc, Richard Guinzani a primeira reunião de trabalho será realizado em abril para efetivar a seccional em Criciúma.

Continue Lendo...

A NOTÍCIA - CLÁUDIO PRISCO PARAÍSO

AFINIDADE

Luiz Henrique Belloni Faria e Tullo Cavallazzi Filho, presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina e o presidentes da OAB-SC, estudam a possibilidade de assinar um termo de cooperação entre as duas instituições.

visita oab5Da Esquerda para Direita: Luiz Henrique Belloni Faria e Tullo Cavallazzi Filho

A NOTÍCIA 22 de fevereiro de 2013. | N° 1769 Alerta


CANAL ABERTO | Cláudio Prisco

Após elaborar minucioso estudo, detalhando a variação do INPCA (índice oficial da inflação), a variação do salário mínimo e do custo do pedágio cobrado na BR-101, a partir de 2009, a Ordem dos Economistas de Santa Catarina, presidida por Luiz Henrique Belloni Faria, decidiu apresentar denúncia ao Ministério Público Federal contra a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O órgão autorizou sucessivos e abusivos reajustes no valor do pedágio desde sua implantação. O preço cobrado pela Autopista subiu 54,62% no período, 8,82% a mais do que o salário mínimo e 30,1% a mais do que a inflação. Medida mais do que acertada.

DIÁRIO CATARINENSE - 23/02/13 JORNALISTA MOACIR PEREIRA

AFRONTA


O presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina, Luiz Henrique Faria, denunciou na Procuradoria Regional da República à ANTT e a Auto Pista Litoral Sul, pelo aumento de 13,34% nas tarifas do pedágio sobre a BR – 101. Alegação: nos últimos quatro anos a inflação totaliza 30,1% e o pedágio sofreu reajustes de 54,62%, em “afronta à economia popular”.

OESC Recebe prêmio destaque Brasil 2012

jornalpalhoca premio_oesc

Jornal Expresso Catarinense - ED 24 de Novembro 2012

sinduscon oesc2
sinduscon oesc

Link: http://www.expressocatarinense.com/edicoes/nov_ed3/index.html

Belloni Faria reeleito para presidir a Ordem dos Economistas

DIÁRIO CATARINENSE


01 de novembro de 2012
ESTELA BENETTI

O economista Luiz Henrique Belloni Faria, da Capital, foi reeleito para mais um mandato à frente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina (Oesc) para o biênio 2013-2014. O pleito se encerrou quarta-feira e a posse será na próxima quinta-feira, às 18h, na Câmara de Vereadores de Florianópolis.

A NOTÍCIA

2 de novembro de 2012.
LIVRE MERCADO | Claudio Loetz

O economista Luiz Henrique Belloni Faria foi reeleito presidente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina. A posse será no dia 8. Pela primeira vez na história da entidade (34 anos), Joinville participa com seis economistas na diretoria: Marcos Filipus, Nerian José Cardoso, Horst Schroeder, Adilson Roeber, Luiz Carlos Scharf e João Dulcemar Caetano de Oliveira.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 logo rumadesign